Revista Brasil Construção

Tegra Incorporadora é o novo nome da Brookfield Incorporações

Redação 03/07/2017

A Brookfield Incorporações está mudando o nome para Tegra Incorporadora. A mudança faz parte de um processo de reformulação da cultura da empresa, iniciado há 18 meses, com o objetivo de reforçar seu compromisso com a excelência, integrando diversas fases que compõem seu negócio, desde a aquisição do terreno, a incorporação, o desenvolvimento do projeto, as vendas e a construção, até a gestão empresarial voltada para os seus clientes.

A nova marca é resultado de um amplo trabalho que teve como objetivo o fortalecimento da cultura da empresa e do seu propósito de oferecer empreendimentos únicos, com alma, para que as pessoas possam viver melhor. O nome Tegra vem de íntegra, integradora, ou seja, expressa o compromisso com a transparência e a responsabilidade da empresa com seus clientes e parceiros.

A Tegra Incorporadora continuará pertencendo integralmente ao grupo canadense Brookfield, que está presente há 117 anos no Brasil e que atualmente administra, aproximadamente, R$ 60 bilhões em ativos no país. Assim como sua controladora, a Tegra Incorporadora segue investindo no Brasil e no desenvolvimento do mercado imobiliário.

Com 39 anos de atuação no segmento de Incorporações Imobiliárias, a Brookfield traz um histórico relevante de 22 milhões de metros quadrados construídos e mais de 90 mil imóveis entregues no Brasil. “Agora com a Tegra, vamos reforçar nosso posicionamento mercadológico. Este é um momento de renovar a nossa marca e garantir uma identidade única em construção no Brasil. Estamos preparados para atender aos anseios de nossos clientes e continuaremos a desenvolver projetos inovadores e de alta qualidade, visando o crescimento sustentável de nossa empresa”, destaca Ubirajara (Bira) Freitas, presidente da Tegra Incorporadora.

Para este ano de 2017, estão previstos 14 lançamentos com um Valor Geral de Vendas (VGV) de aproximadamente R$ 1,6 bilhão.

A incorporadora também continua firme na compra de terrenos, já tendo adquirido cinco novos terrenos neste primeiro semestre, com VGV potencial de R$ 1 bilhão.

Fonte: Assessoria

Compartilhe